ESCOLHA OU SACRIFÍCIO

Posted: 13/07/2010 in Psicopedagogia através da Palavra
Tags:

Escolha é o ato ou efeito de escolher. Preferência. Opção.

Sacrifício é o ato ou efeito de sacrificar-se. Privação de coisa apreciada. Renúncia em favor de outrem. Sacrificar é abrir mão de. Dedicar-se com amor. Sujeitar-se.

MT 12.18 Eis aqui o meu servo que escolhi, o meu amado, em quem a minha alma se compraz; porei sobre ele o meu Espírito, e anunciará aos gentios o juízo. (IS 42.1).

JO 15.16 Não me escolhestes  vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vos conceda.

A Reação é a resposta a um estímulo. Um padrão de comportamento que constitui uma síndrome patológica ou um tipo de personalidade. Uma atitude ou resposta, como um voto popular, indicando uma reação contra um partido ou governante no poder. O sujeito é solicitado a discriminar ou optar entre dois estímulos. Quando se opta por uma escolha, se depara com menos obstáculo e, portanto, é a que tem maior possibilidade de se repetir e aprender. A ação orgânica se adapta às condições externas e internas que determinam a reação.  O Sistema de Reação Variável de Conjunto de estrutura sensórias, neurais, musculares e glandulares  que são coordenadas para efetuar uma reação específica , ativa o organismo e o prepara para uma reação ou resposta.

 REAGINDO DIANTE DA REALIDADE-

PRECONCEITO- Atitude ou sentimento que predispõe ou inclina um indivíduo a atuar, pensar, perceber e sentir de um modo que é coerente com o juízo favorável ( ou, mais frequentemente, desfavorável) sobre outra pessoa ou objeto. Recusa em considerar as qualidades próprias de uma pessoa, reagindo a ela de acordo com as qualidades que correta ou erroneamente se atribuem ao seu grupo social: preconceito de classe, de raça etc.

CONCEITO- Um objeto do conhecimento consciente, em conjunto com o seu significado específico,  que o distingue de outros objetos do conhecimento consciente. Um significado, ideia ou propriedade geral que pode constituir predicado de um ou mais objetos. Um conceito requer duas qualidades básicas: abstração e generalização. A abstração isola a propriedade; a generalização reconhece que a propriedade pode ser atribuída a vários objetos. Por exemplo: durabilidade, excelência, doçura, são conceitos abstratos, que se apreendem como qualidades comuns a uma determinada classe de coisas; homem é um conceito geral, que representa qualquer homem, os homens em geral, implicando o conceito abstrato de “HUMANIDADE”.

A Concepção de ideias é o processo de formação de conceitos. Grupo de conceitos relacionados entre si por um ponto de vista comum, a aceitação. Uma atitude concreta, modo de agir diante de situações apresentadas. Uma Reação por Preconceito onde o sacrifício de aceitação passa a ser dominante, ou Uma Reação por Conceito onde a escolha de aceitação deve-se ao uso do “Consciente: A parte da psique que regula, suprime e modifica a expressão do instinto, de acordo com o sentido individual de valores sociais e  morais. O consciente está apto a responder à estimulação. É o que está envolvido no processo de “ser cônscio de”, “conscientizar” , e o que caracteriza uma reação de que o indivíduo está cônscio. Em psicanálise, é a parte da mente que “percebe” o meio imediato”. O sistema de valores morais do indivíduo; o sentido de certo e errado na conduta. Resultado de um conhecimento de saber ou conhecer. O indivíduo traz um acervo de informações conservadas e entendidas assimiladas por uma cultura. Ele tem um conceito do que é certo ou errado e ajustas seus pensamentos para a aceitação e não discriminação.

 A Realização é uma escolha e não sacrifício porque é a capacidade de execução de um esforço que leve à concretização de um determinado fim. A tarefa realizada, o objetivo alcançado.  Quando a pessoa faz a escolha em ajudar o excluído, ela cria motivação que é a tendência para lutar pelo sucesso ou obtenção de um fim desejado. O envolvimento do ego do indivíduo numa tarefa. O indivíduo sente necessidade e motivo para superar obstáculo ou esforçar-se por fazer  bem coisas que são difíceis como: ajudar um filho homossexual, uma filha prostituta, um filho drogado, um marido doente, conviver com outras raças, etc. sem julgamentos ou preconceitos, mas , com uma consciência plena de realidade de escolha em poder ajudar alguém pelo prazer de escolha e não de sacrifício. Fonte de satisfação de reconhecimento da sua utilidade  à sua família e amigos. Aprender a gostar do outro do jeito que ele é. Usando a conscientização geradora de recompensa positiva, enquanto que o preconceito gera negativismo.

 MT 18.2-4 E Jesus, chamando uma criança, a pôs no meio deles e disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no Reino dos céus. Portanto aquele que se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus.

 Tornar-se humilde literalmente é tornar-se mais baixo, menor. Em estado de aprendizagem, de crescimento, de desenvolvimento cognitivo, processo de adaptação. O pensamento infantil adquire aos poucos, um caráter mais objetivo e realista, logo, menos egocêntrico. Vigotsky, ao dizer que até os mais recuados monólogos da criança eram realmente dirigidos, desde os primeiros meses de vida, a outras  pessoa.  Quando uma criança era colocada num quarto com outra criança, esta surda-muda, num recinto ruidoso ou em completo isolamento, a fala da primeira tornava-se consideravelmente menos frequente. Isso não significava que as crianças sejam necessariamente argutas em sua avaliação do que a outra pessoa compreende, mas indica, segundo Vigotsky, que a fala da criança, mesmo nos  seus  primeiros  tempos de vida, já é intencional. A criança compreende o conceito, mas não tem realidade com o preconceito. A criança não exclui o amiguinho cego, negro, paralítico, surdo. A criança usa de consciência naquilo que está fazendo. Ela está atenta no brincar, estado de maravilha, deslumbrada. O aqui e agora da criança é ser feliz. Ela está concentrada apenas em brincar com seu amiguinho.   A criança não fala mal um do outro, ela não tem a perversidade do adulto. Crianças pobres e ricas brincam como se fossem idênticas. Não existe o complexo de gordo ou magro. Não tem protótipo de mais ou menos bonito. A criança interage em qualquer grupo sem discriminação.

 O adulto perde a realidade do aqui e agora e pelo fato da rotina perde a alegria. Está viva, com a geladeira cheia de coisas gostosas, está com saúde, sua família vai bem, tudo está correndo normalmente,  e se sente infeliz por causa da “ROTINA”: sequência de atos, caminho já conhecido, etc. “Ó Vida , Ó Céus”!

 A escolha não pode ser sacrifício. Se a escolha foi ser mãe, deve ser prazeroso. Se a escolha foi ser  Padre, então deve ser prazeroso. Se a escolha foi ser missionária, deve ser prazeroso. Se a sua opção foi escolher este caminho, então se alegre pelo caminho que escolheu percorrer. A escolha foi sua, não pode haver sofrimento naquilo que se escolhe.

 Jesus Cristo escolheu ser salvador, Ele escolheu cumprir uma missão de proclamar o Reino de Deus na terra. Contudo Jesus precisava nascer como uma criança e, Maria a escolhida para esta missão, aceitou esta escolha.  Para Maria não foi sacrifício a vergonha da humilhação e, para Jesus Cristo, a dor da cruz não foi sofrimento, foi escolha.

 Não existe rotina para os que escolheram caminhar com Cristo na terra. O cristão olha para a realidade. As coisas são como são, deve- se aceitar as coisas simples da vida. A consciência da realidade é olhar o aqui e agora. Escolher em ajudar alguém somente por hoje.

LC 12 22-24  E disse aos seus discípulos: Portanto, vos digo: não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis. Mais é “A VIDA DO QUE O SUSTENTO, E O CORPO, MAIS DO QUE AS VESTES”? Considerai os corvos, que nem semeiam, nem segam, nem têm despensa nem celeiro, e Deus os alimenta; quanto mais vales vós do que as aves?

  A Vida e o Corpo- A existência. A palavra de Cristo é: Eu escolhi estar com vocês. O que significa isso? Significa que Jesus Cristo escolheu caminhar conosco nas nossas limitações. Ele escolheu nos guiar quando precisamos de sabedoria, coragem quando estamos com medo, segurar-nos quando estamos afundando. O tempo de reagir é o aqui e agora: “Imediatamente”. Deus tinha consciência do que estava fazendo quando criou você. Deus tem prazer em sua existência. Seja apenas como uma criança que está aprendendo a andar. Tenta novamente,  você está crescendo. O fracasso é parte indispensável, insubstituível do crescimento e aprendizado. É esse o princípio da história: não é o fracasso que molda você, e sim a maneira como você REAGE para a vida. “Escolha a vida”- “Não sacrifique a vida”.

Pesquisa: Dicionário Técnico de Psicologia.

Pastora e Psicopedagoga:” Mônica Druzian”.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s