A FORCA NÃO É PRA VOCÊ

Posted: 19/05/2009 in Intimidade com o Pai
Tags:

forçaO rei persa nomeando Ester como rainha, ilustra como Deus pode mudar o coração dos ímpios para que eles cumpram seus propósitos.

Embora Ester tivesse sido escolhida e coroada rainha do grande império persa, não se orgulhou, nem se envaideceu por causa da sua posição social e do poder que acabara de receber. Não desprezava os conselhos do seu primo, de condição humilde, nem menosprezou sua tradição espiritual. Pelo contrário, manifestava um espírito de mansidão, humildade e submissão após tornar-se rainha, como sempre fizera antes.

Ester3.2- E todos os servos do rei, que estavam à porta do rei, se inclinavam e se prostravam perante Ramã; porque assim tinha ordenado o rei acerca dele; porém Mardoqueu não se inclinava nem se prostrava.

Mardoqueu por sua lealdade a deus, recusou-se a inclinar-se diante de Hamã. 5-Vendo, pois, Hamã que Mardoqueu não se inclinava nem se prostrava diante dele, Hamã encheu de furor.

O furor é um dos males da humanidade. O historiador Plutarco conta como Aristides, cognominado O Justo por sua inteireza de caráter, foi votado ao ostracismo. Que mal fez Aristides? Nenhum- respondeu o outro- nem sequer o conheço, mas me aborrece ouvir chamarem-no sempre “O JUSTO”.

É impressionante a forma como, em todas as épocas, os grandes homens atraem sobre si o ódio dos medíocres.

Os que conheciam Mardoqueu queriam saber por que ele não se prostrava perante Hamã. Sua resposta era uma só: Eu me prostro apenas na presença dos Rei dos Reis.

Hamã, primeiro ministro da Pérsia é o primeiro elemento político na Bíblia que maquinou uma conspiração sinistra o extermínio de todos os judeus da sua esfera política. Hamã observava algo diferente nos judeus, e os odiava por isso.

O que faz alguém ter uma mente tão criminosa?

A ausência de sentimentos éticos e altruístas, unidos à falta de sentimentos morais, impulsiona alguns indivíduos a cometer crimes com requintes extremados de brutalidade e crueldade.

Hamã promulga o dia da sorte, o dia do Pur, que era matar os judeus em um único dia.

Um homicida violento tomado por uma impulsividade desencadeando uma reação desproporcional entre estímulo e respostas, ou seja, respondendo de forma exagerada de suas frustrações. Um indivíduo com hipersensibilidade a situações geradoras de tensão, que respondem impulsivamente com violência, chegando ao homicídio. Impulsividade é definida como a falha em resistir a um impulso, instinto ou tentação, e é prejudicial à própria pessoa ou a outros. Um impulso é impetuoso e sem ponderação. O indivíduo impulsivo geralmente age no calor do momento, acompanhada de manifestações agressivas. Este comportamento é compatível ao dos psicopatas. Apresentam uma probabilidade de cometer um crime em conseqüência do calor da situação. Estouram em agressividade para expressar sua frustração.

Não se deve pensar que o comportamento homicida ocorre sempre na forma selvagem de um ato sem controle; o homicídio pode tomar a forma de uma vingança premeditada, organizada, praticada com absoluta frieza.

Hamã usou dados para determinar o “dia da sorte “em que destruiria os judeus. Decorreu quase um ano entre o dia em que Hamã lançou a sorte e a execução do plano. Foi o tempo suficiente, na providência divina, para Mardoqueu e Ester neutralizarem a conspiração maligna de Hamã.

Embora Hamã possuísse riqueza, glória, poder e posição social, era um homem insatisfeito e descontente. Mardoqueu por outro lado, tinha força de caráter, convicções religiosas e confiança no Deus Todo Poderoso. Hamã sabia, dentro de si, que Mardoqueu era o melhor deles dois, e por isso o odiava.Aos olhos de Deus, a grandeza nunca consiste na riqueza, no poder ou na condição social, mas na fidelidade, na dedicação a Ele e na luta em prol dos seus justos propósitos na terra.A misericórdia de  Deus sempre será em favor do justo.

7.10- Enforcaram, pois, a Hamã na forca que ele tinha preparado para Mardoqueu.

O livramento de Israel resultou da ação de Deus. Mardoqueu estabeleceu a festa de Purim, com dois dias de duração, para comemorar o livramento de Deus em favor do seu povo, salvando-o da conspiração maligna de Hamã, para exterminar os judeus. A festa chamou-se “Purim “para relembrar que Hamã usou a pratica de PUR, lançar sorte, para determinar o dia da destruição dos judeus.

A festa de PURIM faz-nos lembrar que Deus é maior do que as leis da casualidade. O povo de Deus nunca deve considerar-se vítima da fatalidade, da sorte, do destino, do azar. Deus tem sempre um plano para a vida daqueles que sofrem perseguições.

Es. 10.3 Mardoqueu foi o segundo depois do rei Assuero, e grande para os judeus, e agradável para com a multidão de seus irmãos, procurando o bem do seu povo e trabalhando pela prosperidade de toda a nação.

Desde o francês Pinel, há dois séculos a ciência procura explicações para a violência humana, que nos tempos atuais se manifesta com ódio, agressões, impiedade, violência e se diversifica em proporções assustadoras.

Para o ímpio existe o PUR – O Dia da sua FORCA.

Para o justo existe o PURIM- O Dia da Vitória, O Dia de Festa.

“O JUSTO PELA SUA FÉ VIVERÁ”

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s